Vidros Termoelétricos


Os Vidros Termoelétricos substituem com muita eficiência os tradicionais sistemas usados em restaurantes para manutenção de alimentos quentes, dispensando o aquecimento com água quente (banho-maria) ou queima de álcool gel (rechaud).

Beleza, Praticidade, Versatilidade e Economia de energia são alguns de seus principais diferenciais.

Equipados com controlador individual de temperatura digital, permitem regulagem de 30°C até 160°C na placa, proporcionando comida sempre quente no serviço aquecido do buffet.

São produzidos em 2 versões: de Sobrepor (para apoiar sobre bancadas) ou de Embutir (tipo "plug-in"). Os modelos de Sobrepor, por serem portáteis, são ideais para serviços de buffet, eventos ou restaurantes temporários, já que por serem leves podem ser transportados, limpos e armazenados com grande facilidade. Já os modelos de Embutir são indicados para mesas ou balcões.

Disponíveis em 3 tamanhos:


Características Técnicas

Os Vidros Termoelétricos são produzidos com vidro temperado #4mm, apoiados sobre requadro perfilado de alumínio, anodizado na cor preta.

A tecnologia alemã de aquecimento se utiliza de uma resistência elétrica impressa no próprio vidro pela face interna, distribuindo o calor de forma uniforme por toda a superfície demarcada e tornando a placa muito segura e eficiente sob o ponto de vista de aproveitamento de energia térmica.

Seu sistema proporciona grande rapidez no aquecimento, pois pode ser ligado apenas alguns minutos antes do serviço das refeições. Sua exclusiva borda de 4,5cm, em volta de todo o perímetro da placa térmica, proporciona alto nível de segurança e previne riscos de queimaduras.

Sobre o Vidro Termoelétrico o gestor do buffet pode usar toda a sua criatividade para montar o serviço que desejar, utilizando travessas, caçarolas ou panelas de vidro, de alumínio, ferro, barro, cerâmica, vidro, porcelana, ou do material que preferir. Suporta cerca de 50kg de carga, é resistente à choques (como um vidro traseiro de automóvel), sendo portanto bastante prático e seguro.

A limpeza é outro ponto positivo, exatamente a mesma feita para limpar um vidro comum: com o termostato desligado e a superfície do vidro fria ou morna, basta utilizar um pano macio, umedecido com água, detergente neutro ou "limpa vidros" (não agressivo), para uma higienização adequada.



Perguntas Frequentes


1 - Com o Vidro Termoelétrico a comida fica mesmo quente?
Sim. Com o vidro regulado a 160°C a comida chega a "fritar" de tão quente, tornando necessário a regulagem média do vidro entre 120°C e 150°C para se atingir o mínimo de 60°C na comida exigidos pela ANVISA. É óbvio que isso DEPENDE MUITO da temperatura ambiente, do tipo de comida, do volume do alimento e também do formato e material da travessa, podendo variar no resultado e demandando uma regulagem PERSONALIZADA por cada usuário. Para alimentos de maior volume e líquido, como por exemplo feijões, caldos e sopas, recomendamos utilizar também o Protetor Salivar com Aquecimento ou Luminária Aquecedora, para aquecer também a parte superior do alimento.

2 - O Vidro Termoelétrico resseca a comida?
Não necessariamente. O ressecamento do alimento pode acontecer em todos os sistemas de aquecimento, inclusive no banho-maria, se o TEMPO DE EXPOSIÇÃO for muito prolongado, superior a cerca de 1 hora e meia, causando a perda da hidratação da comida. O conceito de buffet com Vidro Termoelétrico é preferir o uso de travessas menores, com porções menores de comida e aumentar a quantidade de vezes de reposição, para melhorar a qualidade ao cliente.

3 - Posso trabalhar com qualquer travessa sobre o Vidro Termoelétrico?
Sim, essa é uma das principais vantagens do nosso sistema. Você usa a sua criatividade para montar o buffet como quiser, intercalando caçarolas, panelas, baixelas e travessas, com ou sem tampa, como desejar. Para melhor desempenho térmico, recomendamos preferir materiais metálicos (como alumínio fundido ou ferro fundido) e recipientes com base larga, onde o fundo tenha a maior superfície de contato possível com a placa térmica.


4 - É obrigatório utilizar a "Manta de Silicone"?
Não. A manta de silicone é uma recomendação, e não uma obrigação. A função dela é proteger o Vidro Termoelétrico contra riscos e impedir que as travessas e acessórios deslizem sobre a superfície, proporcionando assim mais segurança. Elas resistem à alta temperatura (até cerca de 200ºC) e são aptas para uso diário, durando em média 12 meses em um restaurante comercial típico.

5 - O Vidro Termoelétrico aquece por indução?
Não. O Vidro Termolétrico possui sistema de aquecimento direto sobre tudo o que está sobre ele, enquanto que a tecnologia de indução serve somente com panelas magnéticas especiais, aquecendo somente o alimento no interior do mesmo (e preservando a temperatura exterior). A aplicação de ambas são diferentes, sendo o Vidro Termoelétrico recomendado para uso em Buffet  (distribuição) e da indução recomendada para a Cocção (na cozinha).

6 - O Vidro Termoelétrico é igual um cooktop?
Não. O cooktop é de material vitrocerâmico, com resistências localizadas para COZINHAR os alimentos a temperaturas de até 400°C, enquanto o Vidro Termoelétrico serve para MANTER os alimentos aquecidos na temperatura de serviço do buffet (mínima de 60°C no alimento).


7 - O Vidro Termoelétrico é mesmo econômico?
Sim. Seu exclusivo sistema de aquecimento através de resistência impressa com termocontrolador digital permite que a resistência ligue e desligue automaticamente, oscilando a temperatura na faixa programada e poupando continuamente energia.
Baseado em observações e testes realizados pela própria RESTAUNOX, constatamos que o consumo médio oscila de 70% e 90% da temperatura programada, considerando ajuste na faixa entre 100ºC a 130ºC. Assim, podemos podemos concluir que:
  • O modelo 60x40cm, com potência máxima de 418W, consome em média 0,30kWh, o que resulta numa despesa aproximada de R$ 0,15 por hora (referência do kWh a R$ 0,50/h);
  • Os modelos 70x57cm e 70x70cm, com potência máxima de 1210W, consome em média 0,90kWh cada um, o que resulta numa despesa aproximada de R$ 0,45 por hora (referência do kWh a R$ 0,50/h). 
O consumo de energia poderá ser ainda menor se o usuário regular com temperaturas médias menores, dependendo também de questões de operação e ambiente (temperatura que a comida vem da cozinha, tempo de exposição e de reposição, quantidade de comida exposta, material da travessa, correntes de ar sobre a comida, etc).


8 - Como obter melhor rendimento do Vidro Termoelétrico?
  • Recomendamos que o alimento venha quente da cozinha, para garantir a boa temperatura de serviço no buffet. A função do Vidro Termoelétrico Glasart é manter o aquecimento, e não esquentar comida fria;
  • Recomendamos cuidado especial com correntes de ar frio sobre o balcão do buffet, vindas de janelas, ventiladores ou ar condicionado;
  • Recomendamos utilizar temperaturas mais altas em dias frios, e temperaturas mais baixas em dias amenos;
  • Para melhor aproveitamento de espaço, recomendamos utilizar as Travessas de alumínio fundido da RESTAUNOX, que possuem excelente desempenho térmico, altíssima durabilidade e são inquebráveis;
  • Para alimentos de maior volume e caldos, recomendamos utilizar a Protetor Salivar ou Luminária Aquecedora SPOT, que auxilia no aquecimento e ainda melhora a iluminação e o destaque da comida.

Exemplos de Aplicações: